segunda-feira, 22 de maio de 2017

Breve história da fundição do estanho



O estanho, um dos mais antigos metais conhecidos, é utilizado pelo homem há cerca de 5.000 anos. Os egípcios utilizavam o estanho, que misturavam ao cobre para obter o bronze, como nos demonstraram achados do tempo das pirâmides. Na Índia, na China e no vale do Eufrates utilizavam-se objetos de bronze cerca de 2.500 anos antes de Cristo.
Quando de descobriram na Europa minas de estanho, deixando de ser necessário trazê-lo da Índia, esse metal brilhante como prata passou a ser utilizado na confecção de toda a espécie de utensílios e de pequenos vasos para uso doméstico. No tempo das cruzadas (século XI a XIII) começaram a trazer ao peito pequenas imagens feitas numa liga de estanho, fundidas em moldes de madeira, barro ou areia. Em vez de frágil louça de barro que até aí fora utilizada para uso doméstico, as pessoas começaram pouco a pouco a usar pratos de estanho, caros mas resistentes, tendo sido nos conventos onde mais cedo se começou a utilizar com regularidade louça e objetos vário de estanho.
Os camponeses, que trabalhavam o estanho nas oficinas dos conventos, começaram a querer também em suas casas e quintas, utensílios em estanho, encomendando-os ao fundidor o que deu origem à divulgação desse ofício; o estanho provinha de novas minas em exploração na Europa central. Na Idade Média, a idade do ouro da arte da fundição de objetos em estanho, os artesões que trabalhavam o estanho eram conhecidos no sul da Alemanha pelo nome de “Kandler” ou “Kandelgiesser”, e na Alemanha do norte pelos de “Kannenmarker” ou “Tingheter”. O termo “ Zinnglesser” (“fundidor do estanho”) só começou a ser usado de século XVIII em diante. A arte de fundição do estanho atingiu elevado  grau de perfeição, como nos demonstram os exemplares de terrinas, canecas, pratos e jarros de estanho que podemos ver em muitos museus. A variedade de motivos que ornam a superfície de algumas dessas peças (de modo particular as da época barroca) é notável.
Por volta de 1500 começou a pôr-se o problema da liga de estanho a utilizar e da masneira de marcar as peças, problema que levou cerca de um século a resolver. A utilização de uma liga de estanho e chumbo facilitava o trabalho; além, disso o chumbo era consideravelmente mais barato do que o estanho, o que levava por vezes a aumentar a quantidade de chumbo da liga. Essa  falsificação prejudicava porém a bolsa e a saúde do comprador (envenenamento por chumbo), pelo que muitos artesãos resolveram passar a identificar as suas obras, apondo-lhe a sua marca.  De início marcavam-se as obras com o sinete da casa. Mais tarde começaram a utilizar-se as marcas que testemunhavam da qualidade do estanho e do local de proveniência da peça marcada, (marca da cidade) o que permite a todos os artesãos do estanho garantirem  assim a autenticidade das suas mercadorias.
Essa marcação das peças mantém-se ainda hoje em dia, continuando a elucidar-nos quanto a qualidade e ao local de proveniência dos objetos em estanho. A industrialização levou à produção em série dos objetos de uso doméstico, a proibição de todo o trabalho dos metais que vigorou durante a guerra e a crise do trabalho do após-guerra prejudicaram muito o trabalho da fundição manual do estanho. Hoje em dia verifica-se, porém, um interesse renovado pelos objetos em estanho, que dão conforto e calor aos interiores modernos. Inventaram-se ainda novas formas para esses objetos de estanho, formas que correspondem melhor ao gosto da nova geração.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Estanho da Casa Seu Alfredo®




Para ter uma mesa mais sofisticada e atual, peças em estanho são ideias para dar bossa e charme, seja no dia a dia ou em ocasiões especiais. A Casa Seu Alfredo®, traz inspirada pela beleza, diversidade e encanto, seu estilo de desenho e criação em maravilhosas peças em estanho.

Os lúdicos e elegantes itens são versáteis e proporcionam combinação com vários desenhos de louças e outros acessórios. Objetos diferenciados e de uso diário como galheteiros, bowls, jarras, garrafas e etc., cujo são imprescindíveis na hora de preparar a casa para receber.

O estanho, composto por 2% de antimônio e 3% de cobre, é trabalhado de uma maneira artesanal, permitindo que cada detalhe seja incrivelmente belo. Ao serem finalizadas as peças têm brilho na sua cor prateada original e o fosco, que remetem um estilo mais vintage.

Na composição da mesa não podem faltar acessórios, entre eles jarras e garrafas, nelas você pode servir sucos, refrescos, chá gelado, água ou mesmo uísque e conhaque nas garrafas. As jarras podem ser colocadas em bandejas com copos longos e pequenos para drinks, taças, facilitando a hora do brinde.

Os bowls servem tanto aperitivos doces quanto salgados, seja como entrada, aperitivo ou ainda acompanhando o café ou chá da tarde. Eles ainda podem ser colocados em bancada com docinhos, ou no lavabo com balinhas.

Enquanto o galheteiro, peça encantadora, auxilia para que cada um tempere seu prato de acordo com sua preferência. Trazem à composição, da simples á mais elegante, um pouco de graça e descontração. Use-os também espalhados por toda a mesa, entre arranjos de flores ou outros galheteiros, deste modo o prato fica mais saboroso e o momento muito mais alegre.

A versatilidade e o charme do estanho faz-se presente até nos acessórios, é importante preparar a mesa para deixarmos quem recebemos aconchegante, para que o momento seja mais especial e agradável.












segunda-feira, 7 de novembro de 2016

O mundo não está ameaçado pelas pessoas más, mas sim por aquelas que permitem a maldade.
Albert Einstein


 

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Acabamento
Nas peças da Casa Seu Alfredo®, todo o processo de fabricação é realizado por artesãos qualificados. Elas são produzidas a partir de moldes metálicos feitos de ferro. Após a fundição, são torneadas e podem receber dois acabamentos: o polido, que mantém a cor original do estanho com alto grau de polimento, no qual toda a peça ganha brilho e lucidez, e o fosco, produzido com envelhecimento através de banhos de imersão em solução. Em alguns casos, utilizam-se frisos polidos, para gerar contrastes e texturas que valorizam a beleza da peça.


http://csaestanho.com/home 

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

PRODUTOS PERSONALIZADOS

http://csaestanho.com/home




Você procura presentes personalizados para surpreender um casal no momento do casamento ou aniversário de bodas? Quer marcar o nascimento do filho de um ente querido com uma peça exclusiva? O que acha de eternizar uma data especial com uma peça que reflita todo o seu sentimento, ao mesmo tempo com elegância e sofisticação?

É pensando em momentos assim que a Casa Seu Alfredo® personaliza peças em estanho dentro das escolhas dos clientes. Textos e desenhos são algumas ideias para fazer das peças um presente eterno.

E se você é empresário, sabe o quanto é importante homenagear seus parceiros com peças que façam a diferença. Registre a sua marca em estanho e valorize ainda mais a sua relação com os clientes. 


sexta-feira, 21 de outubro de 2016

TRADIÇÃO E BODAS



 

Bodas de Estanho - 10 anos

Boda é a celebração civil ou religiosa do casamento.

Para comemorar a marca de uma década de matrimônio, adotou-se como símbolo o estanho. O elemento representa a solidificação do relacionamento entre o casal. Significa que os cônjuges estão preparados para resistir a qualquer dificuldade e ostentam alto grau de afinidades.

Aproveite ocasiões especiais e presenteie com obras artesanais em estanho. Na Casa Seu Alfredo® você encontra produtos que aliam sofisticação, requinte, tradição e modernidade.

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

http://csaestanho.com/produtos/casticais-e-candelabros/ 





Ambientes que têm em comum o uso de castiçais como itens da decoração. Compare as composições e veja como a peça é versátil: faz bonito tanto em ambiente rústico, típico da fazenda, ao lado de outras peças alusivas ao meio rural e indígena, como na simplicidade de uma mesa em que os castiçais imperam como peças únicas da decoração. A Casa Dom Antonio também aposta na beleza dos castiçais e sugere a utilização em aparadores e mesas. E lembre-se: além de decorar, os castiçais dão charme especial aos jantares. Apague as luzes e deixe as velas reinarem, proporcionando iluminação suave e aconchego ao ambiente. 


quarta-feira, 19 de outubro de 2016





Receber amigos e familiares em casa merece dedicação e capricho para que eles sintam o quanto são especiais. Cada detalhe faz toda a diferença: dos objetos de decoração ao sabor dos petiscos e pratos a serem servidos. Uma mesa posta com peças à base de estanho destacam-se pelo requinte e bom gosto, como na mesa abaixo, com taças e porta vinho que tornam cada brinde mais elegante. Escolha toalhas e sousplats que contrastem com a tonalidade do estanho de forma harmônica e abuse das flores para um colorido especial.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Conservação







O estanho é um metal macio, com baixo ponto de fusão. Ele começa a perder resistência a 180 ºC e derrete a 232 ºC. Por isso, ele nunca pode ser levado ao fogo.

Além disso, é preciso tomar alguns cuidados para manter as peças. As que têm acabamento brilhante devem ser polidas com polidor de latão (como o Brasso, por exemplo) e as foscas devem ser enceradas com cera de carro (Grand Prix® lata preta) ou cera Poliflor® vermelha pastosa e algodão. Encere por igual em sentido circular para não manchar a peça. Dê brilho com outro algodão limpo ou flanela macia.

Esse processo deve ser repetido em média a cada dois meses, mas pode variar de acordo com o uso que se dá às peças. Obras em estanho são mais fáceis de cuidar do que em prata ou outros metais. Ele não enferruja, não oxida e não forma azinhavre.

No dia-a-dia, basta tirar a poeira acumulada e em caso de manchas ou impressões digitais passar flanela com álcool. Todas as peças da Casa Seu Alfredo® devem ser guardadas limpas e secas. Jamais deve-se usar esponja de aço ou máquinas de lavar louça.


segunda-feira, 17 de outubro de 2016




O Blog da Casa Seu Alfredo® - Presentes e Arte em Estanho ou CSA Arte em Estanho® é a forma simplificada de apresentar os trabalhos em Estanho aos jovens e que ainda não tiveram a oportunidade de entrar em contato com Estanho e sua história. O Estanho surgiu da Cassiterita por volta de 3.500 A.C., por ser um metal maleável e ter seu ponto de fusão baixo (amole a 180° C e derrete a 232 C), foi o primeiro a ser utilizado para a produção de armas e utensílios domésticos. O Estanho é o Quarto Metal Nobre antecedido pelo Ouro, pela Prata e pela Platina. No princípio os utensílios eram feitos de barro, madeira e Estanho, as pessoas mais abastadas utilizavam o Estanho, no decorrer do tempo outros materiais foram desenvolvidos, como a porcelana, que teve maior divulgação e era de mais fácil limpeza, embora tenha tempo de vida útil finito ao contrário do Estanho. Desde 3.500 A.C. até hoje as peças em Estanho nunca deixaram de ser produzidas e recebe evolução tecnológica em sua trajetória. Com as benesses do Estanho são possíveis embalarmos alimentos para longa duração, ele não oxida e não dá gosto, por exemplo, todos os produtos encontrados nos supermercados que estão em latas ou em embalagens longa vida são revestidos com Estanho. A presença do Estanho em nossa vida é imperceptível para muitos de nós, ele está em todos os sistemas eletro-eletrônicos, em todos os veículos, em todas as casas... A Arte em Estanho é produzida em diversos países do mundo com ênfase para Portugal, Inglaterra, Espanha, França, Estados Unidos, mas o produzido no Brasil é o mais requintado devido à maneira artesanal como é feito, não só as peças, mas também a liga. Nosso Estanho é de Grau “A” (99,9997% de pureza) e totalmente isento de chumbo. Os objetos e utensílios em Estanho passam de Geração para Geração e farão parte da história da sua vida assim como faz parte da história da humanidade.